A INCOMPARÁVEL GRAÇA DE DEUS


A INCOMPARÁVEL GRAÇA DE DEUS




Sou um jovem, membro da Igreja Assembléia de Deus e, sabendo disso, meus vizinhos adventistas do sétimo dia conversam muito comigo a respeito das doutrinas, tanto da minha como da igreja deles, enfatizando os termos de ambas as doutrinas. Conversamos muito sobre a Palavra de Deus e os seus preceitos, e entre outros assuntos dogmáticos formalmente. Eu os tenho como irmãos, e igualmente dizem isso a meu respeito, mas se tratando de que não guardo o sábado, sendo que esta foi abolida ( para eles, não), não sou digno de entrar no reino dos céus, e muito menos sou considerado por eles irmão em Cristo Jesus.

Esses dias escrevi muito sobre os preceitos dessa denominação, por que não entra na minha cabeça como podem uma denominação se basear em preceitos humanos, e não enxergar na Palavra de Deus a soberania de Jesus Cristo e o real preceito da graça que o Senhor nos deu, as confundindo de todo com preceitos já riscados.

Não com a intenção de ofender religião nenhuma vejo que, vem tentando de muitas formas justificar sobre as leis e a guarda do sábado; me deram um livro do palestrante internacional dos adventistas do sétimo dia (Mark Finley - Tempo de esperança / Casa publicadora - tatuí), onde muito me chama a atenção do fato de justificar, por meio de experiências sem sentidos, o preceito da lei e da graça. A que mais me chamou a atenção foi o fato de comparar a lei e agraça com uma experiência que teve no transito.

Enfatiza Finley:
"Certa noite, depois da apresentação, tinha pressa em chegar ao meu compromisso seguinte. Então, estava dirigindo rápido demais. O limite de velocidade era de 90 quilômetros por hora. Eu estava provavelmente indo a cerca de 110. Um policial me parou e solicitou minha habilitação de motorista. Entreguei minha licença pastoral. O oficial sorriu. Conversamos um pouquinho. Então, eu disse algo do tipo: - Para falar a verdade,acabei de sair do auditório civico, onde estava pregando sobre a lei. Então, será que você pode me conceder a graça esta única vez? Eu e você estamos no mesmo time. Você pega as pessoas depois que elas quebram a lei e eu digo para cumprirem a lei. Faço com que você trabalhe menos. Então, por favor, será qu você pode me conceder graça esta única vez?
Com um sorriso atravessado, o policial disse: - Tudo bem pregador. Pode ir, mas cumpra a lei!

Quando descumpri a lei o que merecia? Uma multa por excesso de velocidade. Isso mesmo! Quando recebi o perdão, isso me liberou da condenação da lei? Sim. Mas o perdão me liberou da juridiação da lei? Absolutamente não. Você acha que eu voltei para o carro e disse para minah esposa: "Querida, eu não estou debaixo da lei. Estou debaixo da graça. Por isso posso dirigir na velocidade que quiser"? Você acha que saí a 140 quilômetros por hora porque estava sob a graça do policial? Claro que não". ( pág. 22.23 )


Mark Finley quis mostrar aos adventistas do sétimo dia que ainda estão debaixo da lei, e que a graça siplesmente nos perdoou uma vez, e regressar ao jugo pesado da dura lei?

Analisaremos o caso: Mark Finley = os cristãos. O guarda = Jesus que concedeu a graça. Os legisladores das leis de trânsito = Deus.

Mark Finley descumpriu uma lei, e uma lei que estar em vigor - muito diferente das leis do Antigo Testamento e do decágolo que consta no Antigo concerto que já foi abolido e não está mais em vigor - por isso ela não pode ser descumprida, e sim, há uma consequência ao descumprir essa lei. No caso a Lei que está em vigor é o da velocidade, e a consequencia é a multa por excesso. Se a lei do antigo testamento estivesse em vigor ainda, Jesus nada mais serviu do que apenas um instrutor da lei, que, quando pecando alguém ele daría o perdão passando por cima do legislador ou, sem o legislador saber, fazendo isso em oculto e contra a vontade de Deus que constituiu as leis para que fossem cumpridas ( por que foi isso que aconteceu com o policial ). Recaptulando; Jesus só nos deu a graça por que Deus, o legislador da lei, permitiu que isso acontecesse. Se os legisladores dessa lei de trânsito ficassem sabendo que alguém passou por cima da lei, ignorando-a, realmente não iríam gostar nada disso, por que a lei foi feia pra ser cumprida. Quanto mais a lei de Deus; que ao ser descumprida uma lei passível de morte, imediatamente era feita a justiça pelo descumprimento dessa lei.
Dizendo que Jesus veio pra livrar da lei somente uma vez e depois voltar pra lei novamente, isso iría até mesmo contra os preceitos que os próprios adventistas argumentam, " Que Deus nunca muda" e que "passando por cima de sua própria palavra" mudou os preceitos uma vez; como pode então Jesus vir e dar apenas uma vez a graça e pronto, viver na mesma? Se fosse assim, Jesus nem devería ter vindo! Ao observar o argumento do Mark Finley, vemos que nada tem que ver com o real fato da graça de Deus através de Jesus para conosco.

O próprio Deus mandou-nos Jesus para dar a graça e a vida eterna ( Jo 3.16 ). / Os legisladores das leis de trânsito não mandou o policial dar a graça para o pregador, nem para ninguém e sim fazer valer a lei que está em vigor.
O próprio Deus anulou a lei do A.T. atravéz de Jesus Cristo cravada na cruz ( Cl 2.14 ) / Os legisladores não tinham anulado a lei da velocidade ou lei alguma.
O próprio Jesus que, sendo o verbo que estava com Deus e o mesmo é Deus ( Jo 1.1 ), não veio passar por cima da lei, ele veio cumprir a lei primeiro. Observem bem o versículo que os adventistas do sétimo dia tanto gostam: Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido ( Mt 5. 17-18 ). No versículo 18 fala claramente: de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Jesus cumpriu toda a lei, e não moveu um til ou um i sequer dela até que tudo fosse cumprido. Ora o que foi cumprido? a Redenção de nossos pecados pela morte de Jesus cristo na cruz do calvário! Isso era pra ser cumprido. mas antes de se cumprir isso, devería ainda a lei ser cumprida. Só aí então saímos debaixo da lei e vivemos na santa graça de Deus através de Jesus.

Certamente não é só por que estamos debaixo da graça que devemos fazer o que quer. Temos mandamentos a serem cumpridos e esses mandamentos foram dados por Jesus pela Nova Aliança e não os da Velha aliança que já desapareceu ( menos para os adventistas do sétimo dia não ).

Nem sobre as novas leis determinadas pro Cristo ao Novo testamento, se encaixam nessa comparação! Por que Deus permitiu que Jesus viesse dar a graça a todos que desejam. Já os legisladores das leis de trânsitos não enviou os policiais a perdoarem os erros dos condutores. Deus mandou-nos Jesus para atribuir um fardo leve e suave ( Mt 11.30 ). Os legisladores das leis de transitos, querem, custe o que custar, que as leis sejam cumpridas com rigor. O perdão veio do próprio Deus, o "justo" legislador das leis, nos dando a graça por meio da fé e do seu amor ( Jo 3.16 ). O perdão que Mark Finley obteve não veio dos legisladores das leis de transito e sim do policial, que passando por cima da lei, lhe deu uma única graça e passageira.

Mark Finley argumenta com o policial que aconselha o pessoal cumprirem a lei, e o policial pega as pessoas depois que descumprem as leis. Ora Jesus não veio por que o povo judeu descumpriram as leis. A promessa da vinda da graça em Cristo Jesus já era predita desde os tempos de Abraão ( Gl 3.13-14 ), ele mesmo foi salvo pela graça, muito antes das leis. Deus porpôs as leis para nos servir de pedagogo até que Jesus viesse para nos trazer a Salvação, para todos, até gentios, pela graça e pela fé ( Gl 3.24-25 ).

Estamos sim debaixo de mandamentos, mas com a permissão de Deus, o legislador das leis, é que foi traziada a nós a graça e o fardo leve de sermos livres para adorar a Deus, visto que seus preceitos carregamos em nossos corações, e instruídos agora pelo maravilhoso Espírito Santo!

Com a Graça de Jesus a todos.

Neymarques Feitosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MASTURBAÇÃO FEMININA

POR QUE NÓS CRISTÃOS DEVEMOS SER DIFERENTES?

COMO ASSIM OS TÍMIDOS NÃO HERDARÃO O REINO DOS CÉUS?