Nossos oponentes tentam de tudo para achar na Bíblia algo que possa favorecer seus erros, até mesmo versos isolados, que podem parecer com uma interpretação favorável, mas estudando mais afundo vemos que não é como tal pregam.

Lendo um livro dos Adventistas do sétimo dia, pude perceber que a autora prega muito a respeito de leis, se opondo à liberdade em que a graça nos abre, vi que para justificar e confirmar a convivência de uma vida cristã verdadeira, devemos ainda obedecer a preceitos nas quais foram ABOLIDOS. Sim exatamente abolidos.

Veja: “Se tivesse sido possível mudar a lei ou deixa-la de lado, Cristo não precisaria ter morrido para salvar o ser humano da penalidade do pecado.” “O Filho de Deus veio para tornar grande a Sua lei”. ( Ellen G. White - A Grande Esperança – Casa publicadora 2011, Pág. 21.). Logo após esse texto, a autora ressalta o grandiosos texto de Mateus 5.17-18, ressaltando o de maneira errada.

Mas Mateus 5.17-18 não nos diz que nem uma letra ou um acento dela será removido, até que tudo passe? E esse texto também diz que Jesus não foi abolir a Lei e os profetas, mas, veio cumprir? Sim, Exatamente, cumprir!

Pelo jogo de palavras e de frases nesse texto, dar pra camuflar e puxar um falso sentido para dar ênfase a denominações que ainda se vangloriam por obras, ressaltando mais as obras do que a graça mediante a fé. (Eésios 2.8-9). Já fiz um artigo aqui mostrando como realmente interpretamos esses versos. Quando Jesus diz que não veio abolir nem a Lei e nem os profetas mas cumprir. Isso não significa que Jesus desceu a terra e veio apenas mostrar como é que se observa a lei. Pois pra isso existiam os profetas e os juízes. Os profetas eram homens designados por Deus para mostrar os erros, e mostrar como se deve realmente obedecer as leis. Os profetas tinham esse papel. ( Ezequiel 43.10-11). Jesus já cumpriu o que ele disse em Mateus 5.17-18.

Mas a Palavra fala, que até que o céu e a terra passem, nada será retirado. Se formos ler apenas essa frase, dará ênfase o sentido que somente ela trás. Os nossos oponentes usam frases dos versículos em apreço, e os colocam de formas aleatórias, usando cada frase, para justificar outras frases. Dizem: Jesus veio mostrar como devemos cumprir a Lei, por isso ele disse "Não penseis que vim destruir a lei, vim cumprir"! E complementam: Nada pode ser retirado da Lei sendo que nem uma letra ou acento mudará até que a terra e o céu passem! E terminam: Deus é imutável! Enganando-se, sendo que aprendem os que os seus líderes, que deturpam a palavra de Deus, desconsiderando o derramamento do sangue de Cristo e o seu sofrimento na cruz, substituindo o grande sentido do Amor de Deus por coisas que o próprio Cristo aboliu.

Quando Jesus ressalta e Expressão: Vim cumprir! Ele não expressa em cumprimento (obediência) a lei alguma. Ele afirma severamente que, é Nele que se cumprirá o que a Lei significava, e o que os profetas professavam. Porque sabemos que todas as coisas existentes no Velho Testamento: As histórias, as Leis, os Salmos, As profecias e até mesmo nos mais detalhados utensílios existentes no Tabernáculo, onde podemos ver que até as cores dos panos, os tipos de metais, e escolhidas madeiras significavam algo relacionado a Cristo; todas as coisas, até os mínimos detalhes do Antigo Testamento, apontavam para Cristo.

Assim como todas as coisas apontavam para Cristo na Lei de Moisés, nos profetas e nos Salmos, também no decálogo tudo aponta para Cristo também, na qual houve reforma depois do cumprimento. Os judaizantes afirmam: "Até Jesus descansou no sábado em sua morte!" E isso é verdade. Até a guarda do sábado no antigo testamento apontava para Cristo. O sábado simbolizava, sem conhecimento dos Israelitas antigos, a morte de Jesus, na qual é bem provável e certo de que o corpo de Jesus permaneceu o sábado todo, na tumba. Melhor explicando, Jesus disse que ele iria cumprir a lei, ou seja, o que a lei apontava para ele, o que a Lei simbolizava o que ele ia fazer, que era dar a todos nós a esperança da promessa de que todos teríamos chance de obter a salvação através da sua morte.

Tanto como o período da morte de Jesus expressada na observância do sábado, tendo os israelitas antigos como um dia em que deveriam ter respeito, pois representava um pré-luto de Cristo, como também, no Antigo Testamento já estava predestinada a ressurreição de Cristo profetizado pelo Profeta Oséias, que Jesus haveria de ressuscitar ao terceiro dia (Oséias 6.2). Por essa mesma Ordem Jesus afirmou: "Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; [...] Vim cumprir".

Lá em Colossenses 2.16-17 nos afirma que todas essas coisas do passado eram apenas sombras das coisas vindouras, ou seja, representavam coisas que havia de vir. Por isso Jesus bradou em seu discurso dizendo em Mateus 5.17: "Vim para cumprir." [...] "O que de mim estava escrito" (Lucas 24.44). Ele veio, porque todas as coisas, durante toda a era do Antigo Testamento se baseavam Nele, em Cristo.

Satanás desde o início tentou de todas as formas impedir Jesus de cumprir o plano pré anunciado pela lei e pelos profetas. A luta era constante e muito forte. Até tentar a Cristo através da própria Palavras de Deus o inimigo tentou, e fora isso fez coisas terríveis, para que que o triunfo do cumprimento da promessa gloriosa de Deus fosse concluída. Crianças foram mortas, demônios se manifestaram, o próprio inimigo se chegou ao Filho de Deus, mesmo sabendo que não teria sucesso, mas não hesitou em trabalhar a favor do impedimento do cumprimento de todas as coisas a serem executadas em Cristo Jesus. E diante dessa batalha extremamente grande travada contra Jesus, foi que Ele, no monte onde estava ensinando, se levantou e bradou: "Porque em verdade vos digo: Até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo seja cumprido". (Mateus 5.18). Jesus expressando dessa forma, ele queria fazer-nos entender, que a luta era tão grande que, se fosse possível nessa batalha atingir a existência do céu e da terra, mesmo assim seria possível, e nada e nem ninguém poderia impedir que ele cumprisse o que Dele testificava as coisas do passado. (Lucas 24.44 / Romanos 3.21).

O apóstolo Paulo ainda reforça, dando mais clareza ao verdadeiro sentido do que Jesus disse em Mateus 5.17-18. Ele afirma com todas as letras: "Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado" (Romanos 3.20) Quando Paulo afirma que pela lei, vem o pleno conhecimento do pecado, porque todos nós sabemos que só é pecado aquilo que a lei informa ser pecado. Por isso Paulo ressalta que: "Assim, a lei ficou tomando conta de nós, até que Cristo viesse para podermos ser aceitos por Deus por meio da fé. Agora que chegou o tempo da fé, não precisamos mais da leis para tomar conta de nós". (Gálatas 3.24-25).

Paulo, na carta aos romanos expressa várias vezes a importância da graça e mostrando que agora, não vivemos mais debaixo de lei e muito menos seremos justificados por leis: "Mas agora Deus já mostrou que o meio pelo qual ele aceita as pessoas não tem nada a ver com a lei". (Romanos 3.21). Paulo também afirma: "Assim percebemos que a pessoa é aceita por Deus pela fé e não por fazer o que a lei manda". (Romanos 3.28).

É muito fraca a ideia de que Jesus "apenas" veio mostrar como seguir as leis. Ele não veio para isso, ele veio para executar o divino plano de Deus de perdão e salvação, como mostra João 3.16-17 : "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele".
Os salvos pela graça, mediante a fé, não vivem sem leis e sem obedecer o Nosso Senhor Jesus Cristo, na qual é o próprio Deus. Porque para os judaizantes, somos como transgressores de Deus, e desobedientes a um Deus que gosta de decência e ordem. Isso é mentira, e engano; tão tal que o apóstolo Paulo Afirma: "Será que isso quer dizer que, por causa da fé, nós tratamos a lei como se ela não valesse nada? Não; de modo nenhum! Pelo contrário, afirmamos que a lei tem valor." (Romanos 3.31). O apóstolo Paulo confirmou a lei, e não TODO o decálogo, porque nós que vivemos na dispensação da graça, somos livres, certo que tudo tem limites.

Muitos mandamentos do decálogo estão na reforma do Novo Testamento, repetidos e confirmados. Mas muitos querem trazer a tona aquilo que já foi destruído; conforme Gálatas 2.18, na qual Paulo assevera firmemente que: "Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor".

Nós, que prezamos para ter uma vida digna de santidade e comunhão com Deus, devemos ter uma sede insaciável por conhecimento para que não sejamos enganados por falsas interpretações que o inimigo anda pregando, com mansidão e com aparência de algo justo e bom. E igrejas aderem essa tática de espíritos enganadores querendo desvalorizar a morte de Cristo na cruz para nossa redenção, trocando por coisas vãs que não salva, elevando isso até mesmo em placas de seus próprios templos, não dando honra ao nosso Senhor, na qual se vale mais em dias e preceitos antigos do que a própria importância vital de se obter a salvação através da cruz e da morte e ressurreição do Filho de Deus.

Obedecemos sim aos preceitos de Cristo, que é Deus. Não é porque vivemos na graça que iremos fazer o que bem entendemos. Mas somos livres, porque foi "Para a liberdade Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão." (Gálatas 5.1). Pois quem despreza o sacrifício de Cristo, validando a sua vinda com uma mera missão de impor a continuidade de preceitos, não reconhecem e não entendem o verdadeiro significado e a grande importância da morte de Cristo Jesus, o Filho Deus, na qual ele mesmo se fez maldição, para nos dar liberdade de adoramos a ele em Espírito e em verdade, sem limites e livres de imposições vãs, nas quais o próprio Deus não se preocupou de repetir em seu novo concerto de amor e esperança.

O Apóstolo sempre agrega a graça na morte de Cristo, dando o real sentido da morte de Cristo Jesus, o Filho de Deus, ligando firmemente com a quebra de leis antigas. Paulo é muito feliz em afirmar: "Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus. Pois, se é por meio da lei que as pessoas são aceitas por Deus, então a morte de Cristo não adiantou nada!" (Gálatas 2.21).

Na Paz de Deus a todos.

Neymarques Feitosa.

Comentários

  1. Eu que já li várias vezes à bíblia e pude deparei que a lei nunca acabou.Veja em IS40.8 - Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.Veja SL 19.7 - A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; Veja no dicionário Strong "Perfeito" significa que não há erros, é plena, completa.O NT tem que ter consonância com o AT.Se não tiver aí há problemas!Me conte uma coisa:ONde está escrito no AT essa profecia de LC 24.44?Paulo novamente se contradiz em RM3.20 que ninguém será justificado pela lei, mais em RM 2.13 ele fala o contrário.Alguém pode me explicar isso!Para a lei ter acabado tem que haver uma profecia no AT que Diz isso.Mais é o contrário.Veja em IS11.9 - Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR(Torah - Lei), como as águas cobrem o mar.As nações iram perguntar os judeus como é a lei(Torah) do Eterno.Veja:ZC 8.23 - 23 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.
    Estranho essa passagem!Os cristãos falam que são o povo escolhido do Eterno, porém o AT fala o contrário.(SErá que o Eterno muda?)Em ML3.6 diz:6 Porque eu, o SENHOR, não mudo;Ainda no AT fala que todas as nações iram à jerusalém assistir a festa das cabanas.Veja ZC 14.16 - 16 E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o SENHOR dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.É muito estranho isso.Vamos refletir se realmente a lei acabou.DEvemos sim é ler o AT primeiro, para depois ver se o NT está com consonância e harmonia com o AT.Abraços à todos.



    ResponderExcluir
  2. Bom querido, fico muito grato pela visita e pelos comentários cheios de argumentos proveitosos. Para Paulo a Torah, a Lei dadas por intermédio de Moisés e composta de letras, formando palavras e estas formando sentenças que em seu sentido e leitura são “ordenanças” estava velha, e era um ministério de morte, ou seja, mesmo sendo boa, santa e justa ela produzia no homem a morte devido a fraqueza da carne e impossibilidade de ser guardada pelo homem.
    Ela, a Torah, é boa em si mesma e é expressão das justas exigências do caráter de Deus.
    Mas ela, a Torah, é inadequada ao homem na forma de letras e ordenanças.
    O homem precisa é de Espírito e de Vida.
    Para um homem uma declaração de como é belo voar e de como é agradável voar, não vai ajudá-lo a voar.
    Você pode ter um vídeo ensinando homens a voarem…
    Você pode ter um decreto governamental exigindo que todos os homens voem mas os homens não voarão..
    A declaração de Jesus é impressionante: Jo 7:19 : Não vos deu Moisés a Lei ? E nenhum de vós observa a lei . Porque procurais matar-me ?
    Um único ser humano observou a Lei, a Torah. Este único ser humano é Jesus Cristo. O que Cristo faz não é nos dar a Torah, mas simplesmente nos dar seu Espírito para habitar em nós e nos guiar a toda verdade. Cristo nos deu a Vida, e nos deu o Espírito Vivificador que produz em nós o fruto desta vida na forma de amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio, etc…
    Quando o homem é regenerado e já não é mais homem e sim pássaro já não precisa de manuais sobre como voar, ou de decretos e ordens para voar. Ele voa porque sua vida é vida que quer voar. Paulo não condenou a Torah, Paulo apenas mostrou que ela para nós é coisa do passado. Antes tentávamos ser guiados pela Torah fora de nós e hoje somos guiados pelo Espírito dentro de nós. É isso!
    Leis, Deus as escreveu em nosso coração para praticarmos, não mais obras da Lei, PORQUE POR OBRAS DA LEI NINGUÉM SERÁ JUSTIFICADO, que obras são essas? Só analisar Gálatas 5.22-25. Nada pode ir contra esse preceito que tem mais relevância do que qualquer outra coisa.
    Irmão Célio, não quero aqui debater e discutir algo retórico, me entenda. Se essa for sua intenção, saiba que não perderei meu tempo com algo vão assim. Que Deus venha te abençoar mais e mais. Paz.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MASTURBAÇÃO FEMININA

POR QUE NÓS CRISTÃOS DEVEMOS SER DIFERENTES?

COMO ASSIM OS TÍMIDOS NÃO HERDARÃO O REINO DOS CÉUS?